A Congregação da Imaculada Conceição de Maria Santíssima

Juan Francisco de Aguilera, A Imaculada Conceição com alguns santos jesuítas, 1720.

“Tendo em vista fomentar nos seus membros uma ardentíssima devoção, reverência e amor filial para com a B. Virgem Maria, e, por esta devoção e pelo patrocínio de tão boa Mãe, tornar os fiéis, reunidos em nome dela, bons cristãos, que sinceramente se esforcem por santificar­-se no seu estado e se deem deveras, quanto a posição social lhes permitir, a salvar e santificar os outros e a defender a Igreja de Jesus Cristo dos ataques da impiedade” – A regra primeira da Congregação Mariana resume primorosamente seu objetivo e meios, desde quando foi fundada no Colégio Romano, em 1564.

Os congregados, assim chamados por unirem-­se em favor de Nossa Senhora, são vivamente incentivados a buscar sua própria santificação, a santificação de seus próximos e a defesa da Santa Fé. Não é algo simples, mas, movidos com patrocínio da Santíssima Virgem, a falange mariana, como bem disse o Papa Pio XII sobre os congregados, move­-se do mar às cordilheiras sem temer as incídias inimigas, pugnando à sombra da Virgem Imaculada.

E desde 1564 as Congregações Marianas vem sendo incentivadas pelos Santos Padres com indulgências e privilégios que já deram 68 santos e 45 beatos, dentre eles Santo Afonso, São Francisco de Sales, São Luís Maria Grignion de Montfort, Santa Teresinha do Menino Jesus, São Luiz Gonzaga e muitos outros.

Deus Nosso Senhor nos ajude a seguir os que nos precederam nas fileiras da Virgem em defesa da Santa Igreja, na santificação própria e de nossos próximos, revelando novamente o verdadeiro Marianismo.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *