S. Pedro Fourier, confessor

Nascimento

30/11/1565, em Mirecourt, França

Morte

09/12/1640, em Gray, França

Beatificação

29/01/1730, pelo Papa Bento XIII

Canonização

27/05/1897, pelo Papa Leão XIII

Festa Litúrgica

09 de Dezembro

Onde Foi Congregado

Universidade de Pont-à-Mousson, França.

Pedro Fourier nasceu em novembro de 1565, em Mirecourt, Voges, região de Lorena, na França. Seus pais, Domingos Fourier e Ana Nacquart, eram pobres materialmente, mas bem dotados de santidade e piedade, mantendo assim seus cinco filhos íntegros na fé.

Pedro foi especial diante dos outros, pois tinha muita inclinação ao exercício das virtudes, principalmente a pureza, de modo que desde muito pequeno preocupava-se até mesmo em cobrir todas as partes do corpo. Foi um rapaz modesto nos olhares e atitudes, ou seja, nos risos, nos modos de agir, nos divertimentos, o que arrancava a admiração de muitos, tamanha era sua maturidade.

Quando tinha quinze anos, foi direcionado à Universidade de Pont-à-Mousson, de onde um tio paterno era reitor. Desde lá, comportava-se como se estivesse numa vida conventual, pois alimentava-se somente uma vez ao dia, normalmente a pior comida, e não tomava vinho, bebendo somente água de forma moderada.

Além disso, sua vida espiritual era tão elevada que passou a flagelar-se e a usar disciplinas corporais, a fim de controlar-se a si mesmo.

Foi nesta Universidade que S. Pedro ingressou na congregação mariana, aproximando-se ainda mais da Virgem Santíssima, sempre pedindo a Ela que cuidasse para não cair em tentação.

Cresceu em estatura, graça e conhecimento. Aprendeu muito bem latim e grego, ao ponto de ler as obras originais de São João Crisóstomo e outros padres da igreja oriental. Era tão bom nos estudos que foi tutor de alguns filhos de amigos seus, iniciando assim sua carreira no magistério.

Aos 20 anos de idade, ingressou na Ordem dos Cônegos Regulares de Santo Agostinho, em Chaumousey, onde cursou filosofia e teologia.

Pedro era bastante mal visto e censurado pelos outros religiosos por ser muito rigoroso no cumprimento da regra. Tendo perseverado, foi ordenado sacerdote em 1589.

Posteriormente, foi enviado pelo seu superior à Universidade novamente para terminar os estudos. Ao retornar ao convento, manteve-se fiel às regras, buscando retomar a regularidade e fervor na ordem, a fim de influenciar os outros religiosos. Todavia, Pedro acabou sendo perseguido por alguns maus membros, que o submetiam a maus tratos dos mais variados tipos, tendo ocorrido até mesmo uma tentativa de envenenamento. O santo foi salvo pela sua intensa mortificação, ou seja, como comia muito pouco, a quantidade de veneno ingerida não lhe trouxe prejuízo.

Anos depois, Pedro foi designado a ser vigário na aldeia de Mattaincourt, um local pobre muito influenciado pelo calvinismo. Aí, passou trinta anos de sua vida, iniciando seu trabalho conquistando cada paroquiano, num lugar cheio dos prazeres mundanos e ignorância da fé. Ia até as casas, onde reunia famílias ensinando-lhes os conselhos evangélicos, de modo a emocionar a muitos.

O Santo fazia ainda mais, encontrava-se com os libertinos e alcoólatras, com quem exercia uma exímia caridade, suscitando-os o interesse pela salvação de suas almas.

Havia também aqueles que eram ímpios, pelos quais o Padre Fourier rezava incessantemente e praticava intensas penitências. Além disso, dirigia-se às casas dessas pessoas e os exortava em alto e bom som, com autoridade e firmeza.

Com tudo isso, S. Pedro conseguiu resultados expressivos na conversão dos paroquianos da região. Era um padre sempre atento em auxiliar quem precisasse, visitando doentes e escolas, conhecendo da conduta dos alunos e ensinando o catecismo.

Teve como ápice a criação de três sodalícios, um de São Sebastião para os homens, do Santo Rosário para as mulheres e da Imaculada Conceição para moças, as chamadas Filhas de Maria. Suscitou que cunhassem medalhas com os dizeres: “Maria foi concebida sem pecado”, as quais foram distribuídas na região de Lorena. Isto se realizou dois séculos antes da proclamação do dogma da Imaculada Conceição pelo Papa Pio IX, assim como da aparição de Nossa Senhora das Graças, na qual a Virgem Maria solicitou que se cunhassem medalhas que, de certa forma, completavam a frase suscitada por São Pedro Fourier com uma oração1. Outro ponto importante, é que o sodalício criado por S. Pedro para as moças serviu de inspiração para a futura Pia União das Filhas de Maria, de patrocínio da Imaculada Conceição e Santa Inês.2

Não bastasse tudo o que já fazia, resolveu aplicar a máxima de Santo Agostinho de se evitar processos ou terminá-los depressa. Para isso, fundou uma associação, onde se engajaram pessoas importantes, nobres e influentes da cidade. Estas pessoas, acompanhadas de advogados, deveriam buscar o término amigável dos processos judiciais. Infelizmente, as guerras religiosas impediram o prosseguimento do projeto.

Quando passou a sair mais da cidade onde trabalhava para pregar missões, voltou a ter contato com a corrupção dos costumes e erros morais. Por isso, perguntou-se como poderia resolver este problema e após algumas meditações, entendeu ser necessário educar a mocidade. Logo, tentou fundar uma obra de educação para meninos e outra para meninas, de modo que somente a destas últimas vingou.

Para isso, reuniu algumas moças, dirigidas pela senhorita Alix Le Clerc, dando-lhes instrução pedagógica de ensino. A partir disto, fundou a Congregação de Nossa Senhora das Cônegas de Santo Agostinho, aprovada pelo papa em 1616. Esta obra se espalhou pela França, sendo como uma precursora das congregações dedicadas ao ensino.

Em 1621, São Pedro pôs-se a trabalhar pela reforma da Ordem dos cônegos agostinianos, em uma abadia em São Remígio, iniciando com seis noviços. Sua investida foi tão proveitosa que, quatro anos após, já havia oito casas que levaram em frente a sua reforma. Em 1622, tornou-se superior dos Cônegos, mas, como no início, teve muita oposição.

No ano de 1625, foi enviado a tentar converter os habitantes do principado de Salm, que tinham tornado-se calvinistas, chamados por São Pedro de “pobres estrangeiros”. Após seis meses de investida do Santo, retornaram à fé católica.

Enfim, Pedro Fourier dirigiu-se ainda a sua cidade natal, onde foi socorrer por volta de quarenta pessoas que estavam possessas do demônio. Realizou ali exorcismos, jejuns, preces e penitências, sendo eficaz em livrar as pessoas deste estado.

Em 1636, o rei da França exigiu que Pedro realizasse um juramento contrário ao papa. Para não o fazê-lo, preferiu ser exilado, mais precisamente na diocese de Gray, Borgonha. Passou os últimos anos de sua vida ensinando crianças e jovens em uma escola gratuita que fundou.

Finalmente, São Pedro Fourier, grande educador, pregador e exímio padre, morreu em 09 de dezembro de 1640, na diocese onde fora exilado.

  1. Em uma das aparições de Nossa Senhora das Graças a Santa Catarina Labouré, no ano de 1830, a Virgem Santíssima pediu que fossem cunhadas medalhas com os dizeres “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós”
  2. A Pia União foi aprovada pelo papa Pio IX em 1848, após ser fundada em Paris, sendo que anos mais tarde, em 1866, um grupo das Filhas de Maria fundado em Roma foi elevado a categoria de Primária pelo mesmo papa, enriquecendo-a de privilégios e indulgências
Loading Likes...

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *