Recepção de membros e renovação de consagração – novembro de 2018

“Monstra te esse Matrem, Sumat per te preces, Qui pro nobis natus Tulit esse tuus”1


“Como é por sua natureza um ato que concorre para aumento do fervor dos Congregados, convém que seja feito com toda solenidade”
2. Assim inicia o trecho da Regra de Vida que trata a respeito da renovação da consagração a Nossa Senhora pelos congregados já consagrados. Ato este muito incentivado nas regras antigas, especialmente por renovar o fervor e as promessas feitas a Nossa Senhora, momento no qual os congregados prometeram amar e servir a Virgem Santíssima, incentivando também, na medida do possível, a devoção de outras pessoas a tão boa Mãe.

 

Em virtude deste fim, a Congregação Mariana da Imaculada Conceição e de Santo Afonso realizou no último dia 17 de novembro de 2018 a cerimônia solene de renovação de consagração.

 

Iniciada com uma exortação do padre diretor a respeito do Congregado Mariano e a Vida Interior, a cerimônia prosseguiu com a admissão de dois novos membros como aspirantes desta congregação.


Recepção de Noviças
Em seguida, as aspirantes Luhana N. e Danyelle Q. fizeram a pré-consagração, com vista em um período de amadurecimento no conhecimento das Regras da Congregação Mariana e futura Consagração definitiva.
Renovação de Consagração
Então, os membros já consagrados realizaram a Renovação da Consagração. De acordo com as tradicionais práticas das antigas Congregação Marianas, a cerimônia de renovação se dá inicialmente com a profissão do Credo compilado pelo Concílio de Trento, momento no qual cada congregado faz seu juramento com a mão direita sobre os Evangelhos e oscula-os. Após isto, proferem a fórmula de consagração da Congregação Mariana, terminando com o compromisso, que traz consigo o trecho:

 

“E como os Sumos Pontífices tem repetidas vezes condenado a Franco-Maçonaria e quaisquer outras sociedades secretas e anticristãs, eu, obedecendo com amor filial à autoridade dos Vigários de Cristo e nomeadamente aos desejos de sua Santidade Leão XIII em sua encíclica Humanum Genus tomo a resolução e compromisso de nunca me filiar em alguma das sobreditas seitas sob qualquer denominação que seja e de, pelo contrário, combater animosamente em todo o tempo e lugar as suas tramas, doutrinas e influências.”
Profissão de Fé

Eu, N., creio firmemente e confesso tudo o que contém o Símbolo da Fé usado pela Santa Igreja Romana, a saber: Creio em um só Deus, Pai Onipotente, Criador do céu e da terra e de todas as coisas, visíveis e invisíveis. E em um só Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos; é Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; é gerado, não criado; consubstancial ao Pai, por quem foram feitas todas as coisas. O qual, por amor de nós homens e pela nossa salvação, desceu dos céus. E se encarnou por obra do Espírito Santo no seio da Virgem Maria, e se fez homem. Foi também crucificado por nossa causa; padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos e foi sepultado. E ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras. E subiu ao céus, está sentado à direita de Deus Pai. E pela segunda vez há de vir com majestade a julgar os vivos e os mortos. E seu reino não terá fim. E creio no Espírito Santo, Senhor Vivificador, o qual procede do Pai e do Filho. O qual, com o Pai e o Filho é juntamente adorado e glorificado, e foi quem falou pelos profetas. E creio na Igreja, que é una, santa, católica e apostólica. Confesso um só Batismo para remissão dos pecados. E aguardo a ressurreição dos mortos e a vida da eternidade.

Aceito e abraço firmemente as tradições apostólicas e eclesiásticas, bem como as demais observâncias e constituições da mesma Igreja. Admito também a Sagrada Escritura naquele sentido em que é interpretada pela Santa Madre Igreja, a quem pertence julgar sobre o verdadeiro sentido e interpretação das Sagradas Escrituras. E jamais aceitá-la-ei e interpretá-la-ei senão conforme o consenso unânime dos Padres.

Confesso também que são sete os verdadeiros e próprios sacramentos da Nova Lei, instituídos por Nosso Senhor Jesus Cristo, embora nem todos para cada um necessários, porém para a salvação do gênero humano. São eles: Batismo, Confirmação, Eucaristia, Penitência, Extrema-Unção, Ordem e Matrimônio, os quais conferem a graça; mas não sem sacrilégio se fará a reiteração do Batismo, da Confirmação e da Ordem. Da mesma forma aceito e admito os ritos da Igreja Católica recebidos e aprovados para a administração solene de todos os supracitados sacramentos. Abraço e recebo tudo o que foi definido e declarado no Concílio Tridentino sobre o pecado original e a justificação.

Confesso outrossim que na Missa se oferece a Deus um sacrifício verdadeiro, próprio e propiciatório pelos vivos e defuntos, e que no santo sacramento da Eucaristia estão verdadeira, real e substancialmente o Corpo e o Sangue com a alma e a divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo, operando-se a conversão de toda a substância do pão no corpo, e de toda a substância do vinho no sangue; conversão esta chamada pela Igreja de transubstanciação. Confesso também que sob uma só espécie se recebe o Cristo todo inteiro e como verdadeiro sacramento.

Sustento sempre que há um purgatório, e que as almas aí retidas podem ser socorridas pelos sufrágios dos fiéis; que os Santos, que reinam com Cristo, também devem ser invocados; que eles oferecem suas orações por nós, e que suas relíquias devem ser veneradas. Firmemente declaro que se devem ter e conservar as imagens de Cristo, da sempre Virgem Mãe de Deus, como também as dos outros Santos, e a eles se deve honra e veneração. Sustento que o poder de conceder indulgências foi deixado por Cristo à Igreja, e que o seu uso é muito salutar para os fiéis cristãos.
Reconheço a Santa Igreja Católica, Apostólica, Romana, como Mestra e Mãe de todas as Igrejas. Prometo e Juro prestar verdadeira obediência ao Romano Pontífice, Sucessor de S. Pedro, príncipe dos Apóstolos e Vigário de Jesus Cristo.

Da mesma forma aceito e confesso indubitavelmente tudo o mais que foi determinado, definido e declarado pelos sagrados cânones, pelos Concílios Ecumênicos, especialmente pelo santo Concílio Tridentino e pelo Sagrado Concílio Ecumênico Vaticano I, principalmente no que se refere ao Primado do Romano Pontífice e ao Magistério infalível. Condeno ao mesmo tempo, rejeito e anatematizo as doutrinas contrárias e todas as heresias condenadas, rejeitadas e anatematizadas pela Igreja, em particular a nefasta doutrina modernista, síntese de todas as heresias.

Eu mesmo, N. N., prometo e juro com o auxílio de Deus conservar e professar íntegra e imaculada até ao fim de minha vida esta verdadeira fé católica, fora da qual não pode haver salvação, e que agora livremente professo. E quanto em mim estiver, cuidarei que seja mantida, ensinada e pregada a meus subordinados ou àqueles, cujo cuidado por ofício me foi confiado. 

Assim me ajudem Deus e estes santos Evangelhos que toco com minhas mãos.

Assinatura do Livro de Congregados
Santa Missa
Por fim, foi celebrada a Missa no Rito Romano Tradicional em honra a São Gregório Taumaturgo.

  1. Trecho do hino Ave Maris Stella
  2. Manual do Congregado Mariano
Loading Likes...

Artigos Relacionados