Preparação para a Consagração – 8º dia (doze dias preliminares)

A prece contínua

consulte os demais dias aqui

Orações

O rosário e a coroinha de Nossa Senhora podem ser encontrados aqui

Veni, Sancte Spiritus

Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso Amor. Enviai o Vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.
Oremos: Ó Deus que instruíste os corações dos vossos fiéis, com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos da sua consolação.Por Cristo Senhor Nosso. Amém

Veni Sancte Spíritus reple tuórum corda fidélium, et tu amóris in eis ignem accénde. Emítte Spíritum tuum et creabúntur. Et renovábis faciem terrae.

Oremus: Deus, qui corda fidélium Sancti Spíritus illustratióne docuisti da nobis in eódem Spíritu recta sápere, et de ejus semper consolatióne gaudére. Per Christum Dóminum nostrum. Amen

Ladainha do Espírito Santo

Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Divino Espírito Santo, ouvi-nos.
Espírito Paráclito, atendei-nos.

Deus Pai dos céus, tende piedade de nós.
Deus Filho, redentor do mundo,
Deus Espírito Santo,
Santíssima Trindade, que sois um só Deus.
Espírito da verdade,
Espírito da sabedoria,
Espírito da inteligência,
Espírito da fortaleza,
Espírito da piedade,
Espírito do bom conselho,
Espírito da ciência,
Espírito do santo temor,
Espírito da caridade,
Espírito da alegria,
Espírito da paz,
Espírito das virtudes,
Espírito de toda graça,
Espírito da adoção dos filhos de Deus,
Purificador das nossas almas,
Santificador e guia da Igreja Católica,
Distribuidor dos dons celestes,
Conhecedor dos pensamentos e das intenções do coração,
Doçura dos que começam a vos servir,
Coroa dos perfeitos,
Alegria dos anjos,
Luz dos patriarcas,
Inspiração dos profetas,
Palavra e sabedoria dos apóstolos,
Vitória doa mártires,
Ciência dos confessores,
Pureza das virgens,
Unção de todos os santos,

Sede-nos propício, perdoai-nos, Senhor.
Sede-nos propício, atendei-nos, Senhor.

De todo o pecado, livrai-nos, Senhor.
De todas as tentações e ciladas do demônio,
De toda a presunção e desesperação.
Do ataque à verdade conhecida,
Da inveja da graça fraterna,
De toda a obstinação e impenitência,
De toda a negligência e tepor do espírito,
De toda a impureza da mente e do corpo,
De todas as heresias e erros,
De todo o mau espírito,
Da morte má e eterna,

Pela vossa eterna procedência do Pai e do Filho,

Pela milagrosa conceição do Filho de Deus,
Pela vossa descida sobre Jesus Cristo batizado,

Pela vossa santa aparição na transfiguração do Senhor,
Pela vossa vinda sobre os discípulos do Senhor,
No dia do juízo,
Ainda que pecadores,nós vos rogamos, ouví-nos.

Para que nos perdoeis,
Para que vos digneis vivificar e santificar todos os membros da Igreja,
Para que vos digneis conceder-nos o dom da verdadeira piedade, devoção e oração,
Para que vos digneis inspirar-mos sinceros afetos de misericórdia e de caridade,
Para que vos digneis criar em nós um espírito novo e um coração puro,
Para que vos digneis conceder-nos verdadeira paz e tranqüilidade no coração,
Para que vos digneis fazer-nos dignos e fortes, para suportar as perseguições pela justiça,
Para que vos digneis confirmar-nos em vossa graça,
Para que vos digneis receber-nos o número dos vossos eleitos,
Para que vos digneis ouvir-nos,
Espírito de Deus,

Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo, envia-nos o Espírito Santo.
Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo, mandai-nos o Espírito prometido do Pai.
Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo, dai-nos o Espírito bom.
Espírito Santo, ouví-nos.
Espírito Consolador, atendei-nos.

V. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado.
R. E renovareis a face da terra.

Oremos: Deus, que instruístes o coração de vossos fiéis, com a luz do Espírito Santo,
concedei-mos que, no mesmo Espírito, conheçamos o que é reto,
e gozemos sempre as suas consolações.

Por Cristo, Nosso Senhor. Amém.

Kyrie, Eleison
Christie, Eleison
Spiritus Sancte, audi nos
Spiritus Paraclite, exaudi nos

Pater de caelis, Deus, miserere nobis.
Fili redemptor mundi Deus,
Spiritus Sancte Deus,
Sancta Trinitas, unus Deus,
Spiritus veritatis,
Spiritus sapientiae,
Spiritus intellectus,
Spiritus foritudinis,
Spiritus pietatis,
Spiritus recti consilit,
Spiritus scientiae,
Spiritus sancti timoris,
Spriritus caritatis,
Spiritus gaudii,
Spiritus pacis,
Spiritus virtutum,
Spiritus multiformis gratiae,
Spiritus adoptionis Filiorum Dei,
Purificatur animarum nostrarum,
Ecclesiæ catholicæ sanctificator et rector,
Caelestium donorum distributor,
Discretor cogitationum et intetionum cordis,

Dulcedo in tuo servitio incipientium,
Corona perfectorum,
Gaudium angelorum,
Iluminatio patriarcarum,
Instpiratio prophetarum,
Os et sapientiae apostolorum,
Victoria Martyrium,
Scientia Condessorum,
Puritas virginum,
Unctio sanctorum omnium,

Propitius esto, parce nobis Domine,
Porpitius esto, exaudi nos Domine,

Ab omni peccato libera nos Domine,
Ad omnibus tentationinbus et insidiis diaboli,
Ab omnine presumptione e desesperatione,
Ab impugnationem veritatis agnitae,
Ab invidentia fraternae gratiae,
Ab omni obstinatione et impoenitentia,
Ab omni negligentia et tepore animi,
Ab omni immunditia mentis et corporis,
Ab haeresibus et erroribus universais,
Ab omni malo spiritu,
A mala et aeterna morte,

Per aeternam ex Patre ex Filioque processionem tuam,
Per miraculosam conceptionem Filii Dei,
Per descensionem tuam super Christum baptizatum,
Per sanctam apparitionem tuam in tranfiguratione Domine,
Per adventum tuum super discípulos Christi,
In die iudicii.
Peccatores, te rogamus, audi nos.

Ut nobis parcas,
Ut omnia Ecclesia membra vivificare et sanctificare digneris,
Ut verae pietatis, devotionis et orationis donum nobis dare digneris,
Ut sinceros misericordiae charitatisque affectus nobis inspirare digneris,
Ut spiritum novum et cor mundum in nobis creare digneris,
Ut veram pacem et cordis tranquilitatem nobis dare digneris,
Ut ad tollerandas propter iustitiam persecutiones nos dignos et fortes efficias,
Ut nos in gratia tua confirmare digneris,

Ut nos in numerum electorum tuorum recipias,
Ut nos exaudire digneris,
Spiritus Dei,

Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, effunde in nos Spiritum Sanctum.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, emitte promissum in nos Patris Spiritum.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, da nobis Spiritum bonum.
Spiritus Sanctum, audi nos.
Spiritus Paraclite, exaudi nos.

V. Emitte Spiritum tuum et creabuntur.
R. Et renovabis faciem terrae.

Oremus: Deus qui corda fidelium Sancti Spiritus illustratione docuisti, da nobis in eodem Spiritu recta sapere et de eius semper consolatione gaudere.

Per Christum Dominum nostrum. Amen.

 

Ave Maris Stella

Clique aqui para ouvir o canto gregoriano

Ave, do mar Estrela
De Deus mãe bela,
Sempre virgem, da morada
Celeste Feliz entrada.

Ó tu que ouviste da boca
Do anjo a saudação;
Dá-nos a paz e quietação;
E o nome da Eva troca.

As prisões aos réus desata.
E a nós cegos alumia;
De tudo que nos maltrata
Nos livra, o bem nos granjeia.

Ostenta que és mãe, fazendo
Que os rogos do povo seu
Ouça aquele que, nascendo
Pos nós, quis ser filho teu.

Ó virgem especiosa,
Toda cheia de ternura,
Extintos nossos pecados
Dá-nos pureza e bravura,

Dá-nos uma vida pura,
Põe-nos em vida segura,
Para que a Jesus gozemos,
E sempre nos alegremos.

A Deus Pai veneremos:
A Jesus Cristo também:
E ao Espírito Santo; demos
Aos três um louvor: Amém.

Ave, Maris Stella,
Dei mater alma,
Atque semper Virgo,
Felix caeli porta.

Sumens illud Ave,
Gabrielis ore,
Funda nos in pace
Mutans Evae nomen.

Solve vincla reis,
Profer lumen caecis,
Mala nostra pelle,
Bona cuncta posce.

Monstra te esse Matrem,
Sumat per te preces,
Qui pro nobis natus
Tulit esse tuus.

Virgo singularis,
Inter omnes mitis,
Nos, culpis solutos,
Mites fac et castos.

Vitam praesta puram,
Iter para tutum:
Ut, videntes Jesum,
Semper collaetemur.

Sit laus Deo Patri,
Summo Christo decus
Spiritui Sancto,
Tribus honor unus. Amen.

Leitura Espiritual

Estas leituras espirituais podem ser feitas no dia anterior, em preparação para a meditação do dia.

Evangelho - Mt 7, 15-29 — Vícios a evitar na vida cristã (cont.)

15.Guardai-vos dos falsos profetas. Eles vêm a vós disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos arrebatadores.
16.Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinhos e figos dos abro­lhos?
17.Toda árvore boa dá bons frutos; toda árvore má dá maus frutos.
18.Uma árvore boa não pode dar maus frutos; nem uma árvore má, bons frutos.
19.Toda árvore que não der bons frutos será cortada e lançada ao fogo.
20.Pelos seus frutos os conhecereis.
21.Nem todo aquele que me diz: Senhor, Senhor, entrará no Reino dos Céus, mas sim aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
22.Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Se­nhor, não pregamos nós em vosso nome, e não foi em vosso nome que expulsamos os demônios e fizemos muitos milagres?
23.E, no entanto, eu lhes direi: Nunca vos conheci. Reti­rai-vos de mim, operários maus!”.
24.“Aquele, pois, que ouve estas mi­nhas palavras e as põe em prática é semelhante a um homem prudente, que edificou sua casa sobre a rocha.
25.Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela, porém, não caiu, porque estava edificada na rocha.
26.Mas aquele que ouve as minhas palavras e não as põe em prática é semelhante a um homem insensato, que construiu sua casa na areia.
27.Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela caiu e grande foi a sua ruína.”
28.Quando Jesus terminou o discurso, a multidão ficou impressionada com a sua doutrina.
29.Com efeito, ele a ensinava como quem tinha autoridade e não como os seus escribas.

Imitação de Cristo - Livro I, Cap XVI

Do sofrer os defeitos dos outros

1. Aquilo que o homem não pode emendar em si mesmo ou nos demais, deve-o tolerar com paciência, até que Deus disponha de outro modo. Considera que talvez seja melhor assim, para provar tua paciência, sem a qual não têm grande valor nossos méritos. Todavia, convém, nesses embaraços, pedir a Deus que te auxilie, para que os possas levar com seriedade.

2. Se alguém, com uma ou duas advertências, não se emendar, não contendas com ele; mas encomenda tudo a Deus para que seja feita a sua vontade, e seja ele honrado em todos os seus servos, pois sabe tirar bem do mal. Procura sofrer com paciência os defeitos e quaisquer imperfeições dos outros, pois tens também muitas que os outros têm de aturar. Se não te podes modificar como desejas, como pretendes ajeitar os outros à medida de teus desejos? Muito desejamos que os outros sejam perfeitos, e nem por isso emendamos as nossas faltas.

3. Queremos que os outros sejam corrigidos com rigor, e nós não queremos ser repreendidos. Estranhamos a larga liberdade dos outros, e não queremos sofrer recusa alguma. Queremos que os outros sejam apertados por estatutos e não toleramos nenhum constrangimento que nos coíba. Donde claramente se vê quão raras vezes tratamos o próximo como a nós mesmos. Se todos fossem perfeitos, que teríamos então de sofrer nós mesmos por amor de Deus?

4. Ora, Deus assim o dispôs para que aprendamos a carregar uns o fardo dos outros; porque ninguém há sem defeito; ninguém sem carga; ninguém com força e juízo bastante para si; mas cumpre que uns aos outros nos suportemos, consolemos, auxiliemos, instruamos e aconselhemos. Quanta virtude cada um possui, melhor se manifesta na ocasião da adversidade; pois as ocasiões não fazem o homem fraco, mas revelam o que ele é.

Meditação

Decididos a nos libertar do espírito do mundo, voltamos nossos olhares para a única e verdadeira Sabedoria. Nosso desejo de possuí-la se eleva de um coração fervoroso. Por isso, espontaneamente, a prece se apresenta a nós como a ajuda mais poderosa para manter nosso desejo em seu fervor e para atrair em nossa alma a divina Sabedoria. Com nosso mestre espiritual, meditaremos sobre a maravilhosa obrigação de ter de pedir esse grande Dom de Deus, e sobre a continuidade que deverá caracterizar nosso pedido.

Recorramos humildemente a Santa Maria Mediadora, cuja função é acolher todas as preces e transmitir todas as graças.

É preciso pedir a Divina Sabedoria: "Pedi e vos será dado, buscai e achareis, batei e abrir-se-vos-á" (Mt 7,7). A Divina Sabedoria como que nos diz: Se quereis encontrar-me, é preciso buscar-me; se quereis entrar em  meu palácio, é preciso bater em minha porta; se quereis receber-me, é preciso pedir-me. Ninguém me encontra se não me busca; ninguém me obtém se não me pede; e tudo se faz por meio da prece.

A prece é o canal ordinário por meio do qual Deus comunica suas graças, particularmente sua Sabedoria. Senhor absoluto de seus dons, ele deseja que reconheçamos primeiro nossa extrema indigência. O pobre, porque é pobre, pede a esmola. Todos nós somos pobres diante de Deus; implorando a ele, confessamos nossa miséria, expomos-lhe a necessidade de que nossa pobreza seja socorrida.a Colocamo-nos, assim, na disposição requerida para obter os benefícios desejados. Essa confissão de nossa miséria toca infalivelmente o coração do Pai do Céus. Por outro lado, Deus resiste aos soberbos. A alma orgulhosa não pede, ela não quer se humilhar. 

É preciso pedir a Sabedoria com uma fé pura, sem apoiar sua prece sobre consolações sensíveis ou revelações particulares. Embora tudo isso possa ser bom e verdadeiro, como se pode ver na vida de vários Santo, é sempre perigoso fiar-se a isso; e a fé e tanto menos pura e meritória quanto mais se apoia sobre essas espécies de graças extraordinárias e sensíveis.

O justo vive da  fé (Rm 1, 17), sem ver nem sentir, nem provar e sem vacilar. Deus prometeu, eis a pedra fundamental de todas as nossas preces e de todas as nossas ações. Todos os que pedem a Deus. Ó Maria, trono acessível da divina Sabedoria, tornai meu coração ávido de possuir esse grande dom de Deus; tocai nele as fibras de vosso espírito de oração. Imploro vossa poderosa mediação.

Nosso pedido pela Divina Sabedoria deve ser contínuo: "Não se deve fazer como a maioria das pessoas que pedem a Deus alguma graça e, depois de terem orado durante um tempo considerável e não verem suas preces atendidas, desencorajam-se e deixam de orar, acreditando que Deus não as quer escutar. Elas perdem, assim, o fruto de suas preces, e até mesmo ofendem a Deus, que ama doar e que atende sempre — infalivelmente —as preces bem feitas, seja de uma maneira ou de outra."

Aquele que deseja, pois, obter a divina Sabedoria deve pedi-la dia e noite, sem se cansar e sem se desencorajar. Mil vezes bem-aventurado será se obtiver após dez,  vinte, trinta anos de preces, e mesmo uma hora  antes de morrer. E se a recebe depois de ter passado toda sua vida a busca-la e pedi-la e a merecê-la por toda  sorte de trabalhos e de cruzes, esteja bem convencido de que não lhe é dada por justiça, como uma recompensa, mas por pura misericórdia, a como uma esmola. Não, não são almas negligentes e inconstantes em suas preces e buscas que terão  a divina Sabedoria. Serão aquelas que se parecem com aquele pedinte importuno do qual fala o Evangelho, que foi no meio da noite bater  na porta de seu amigo, pedindo-lhe três pães.

A prece triunfa sobre tudo, ela desarma até mesmo a Deus, que concede, então, muito mais do que pedimos. Deus nos atenderá infalivelmente, se vir que continuamos a rezar mesmo assim, mesmo que fosse preciso esperar anos e talvez uma vida inteira para obter a divina Sabedoria com todos os seus tesouros escondidos. A oração perseverante, manifestação de nosso desejo adente, fará nossa alma subir a essas regiões espirituais aonde não chegam os ruídos do mundo e de seus falsos prazeres.

À oração vocal que se exprime por meio de palavras, acrescentaremos - seguindo um último conselho de São Luís - a oração mental que se faz no interior da alma: "Ela ilumina o espírito", nos diz ele, "porque obriga a à reflexão, reapresentando aos nossos olhos as verdades eternas. Ela inflama o coração, porque nos faz solicitar a graça de Deus com tanto mais ardor por termos, pela reflexão, sentido melhor nossa  impotência. Ela nos torna capazes de escutar a voz da divina sabedoria, de provar suas doçuras e de possuir seus tesouros, porque essa conversação com Deus se torna então cada dia mais íntima, mais afetuosa e mais prolongada; ela chega até mesmo ao continuar durante todo o dia, em meio às nossas diferentes ocupações.

A prática do santo Rosário nos oferece o  meio mais fácil de unir constantemente a oração vocal à oração mental. Todas as vantagens se encontram nele reunidas: a recitação das mais belas fórmulas de oração que se conhecem, o Pai Nosso e a Ave Maria; a perseverança em voltar às mesmas súplicas sem jamais nos cansar, precisamente porque nossa meditação não esgotará jamais o conteúdo dos mistérios, e nem nossa alma das graças que dele decorrem.

Ó Maria, tornai-nos almas de oração, almas felizes por poderem recorrer a essa força  sobrenatural que está sempre à nossa disposição. Suprimiremos, assim, cada vez mais, "a levindade, a preseunção, o orgulho, a  falta de profundidade daqueles que cumprem sua tarefa cotidiana, mesmo nas circunstâncias mais importantes, sem separar um tempo para refletir, para se recolher, para  implorar as luzes do alto."

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *