Preparação para a Consagração – 4º dia (doze dias preliminares)

Jesus Cristo e seu espírito de desapego

consulte os demais dias aqui

Orações

O rosário e a coroinha de Nossa Senhora podem ser encontrados aqui

Veni, Sancte Spiritus

Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso Amor. Enviai o Vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.
Oremos: Ó Deus que instruíste os corações dos vossos fiéis, com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos da sua consolação.Por Cristo Senhor Nosso. Amém

Veni Sancte Spíritus reple tuórum corda fidélium, et tu amóris in eis ignem accénde. Emítte Spíritum tuum et creabúntur. Et renovábis faciem terrae.

Oremus: Deus, qui corda fidélium Sancti Spíritus illustratióne docuisti da nobis in eódem Spíritu recta sápere, et de ejus semper consolatióne gaudére. Per Christum Dóminum nostrum. Amen

Ladainha do Espírito Santo

Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Divino Espírito Santo, ouvi-nos.
Espírito Paráclito, atendei-nos.

Deus Pai dos céus, tende piedade de nós.
Deus Filho, redentor do mundo,
Deus Espírito Santo,
Santíssima Trindade, que sois um só Deus.
Espírito da verdade,
Espírito da sabedoria,
Espírito da inteligência,
Espírito da fortaleza,
Espírito da piedade,
Espírito do bom conselho,
Espírito da ciência,
Espírito do santo temor,
Espírito da caridade,
Espírito da alegria,
Espírito da paz,
Espírito das virtudes,
Espírito de toda graça,
Espírito da adoção dos filhos de Deus,
Purificador das nossas almas,
Santificador e guia da Igreja Católica,
Distribuidor dos dons celestes,
Conhecedor dos pensamentos e das intenções do coração,
Doçura dos que começam a vos servir,
Coroa dos perfeitos,
Alegria dos anjos,
Luz dos patriarcas,
Inspiração dos profetas,
Palavra e sabedoria dos apóstolos,
Vitória doa mártires,
Ciência dos confessores,
Pureza das virgens,
Unção de todos os santos,

Sede-nos propício, perdoai-nos, Senhor.
Sede-nos propício, atendei-nos, Senhor.

De todo o pecado, livrai-nos, Senhor.
De todas as tentações e ciladas do demônio,
De toda a presunção e desesperação.
Do ataque à verdade conhecida,
Da inveja da graça fraterna,
De toda a obstinação e impenitência,
De toda a negligência e tepor do espírito,
De toda a impureza da mente e do corpo,
De todas as heresias e erros,
De todo o mau espírito,
Da morte má e eterna,

Pela vossa eterna procedência do Pai e do Filho,

Pela milagrosa conceição do Filho de Deus,
Pela vossa descida sobre Jesus Cristo batizado,

Pela vossa santa aparição na transfiguração do Senhor,
Pela vossa vinda sobre os discípulos do Senhor,
No dia do juízo,
Ainda que pecadores,nós vos rogamos, ouví-nos.

Para que nos perdoeis,
Para que vos digneis vivificar e santificar todos os membros da Igreja,
Para que vos digneis conceder-nos o dom da verdadeira piedade, devoção e oração,
Para que vos digneis inspirar-mos sinceros afetos de misericórdia e de caridade,
Para que vos digneis criar em nós um espírito novo e um coração puro,
Para que vos digneis conceder-nos verdadeira paz e tranqüilidade no coração,
Para que vos digneis fazer-nos dignos e fortes, para suportar as perseguições pela justiça,
Para que vos digneis confirmar-nos em vossa graça,
Para que vos digneis receber-nos o número dos vossos eleitos,
Para que vos digneis ouvir-nos,
Espírito de Deus,

Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo, envia-nos o Espírito Santo.
Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo, mandai-nos o Espírito prometido do Pai.
Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo, dai-nos o Espírito bom.
Espírito Santo, ouví-nos.
Espírito Consolador, atendei-nos.

V. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado.
R. E renovareis a face da terra.

Oremos: Deus, que instruístes o coração de vossos fiéis, com a luz do Espírito Santo,
concedei-mos que, no mesmo Espírito, conheçamos o que é reto,
e gozemos sempre as suas consolações.

Por Cristo, Nosso Senhor. Amém.

Kyrie, Eleison
Christie, Eleison
Spiritus Sancte, audi nos
Spiritus Paraclite, exaudi nos

Pater de caelis, Deus, miserere nobis.
Fili redemptor mundi Deus,
Spiritus Sancte Deus,
Sancta Trinitas, unus Deus,
Spiritus veritatis,
Spiritus sapientiae,
Spiritus intellectus,
Spiritus foritudinis,
Spiritus pietatis,
Spiritus recti consilit,
Spiritus scientiae,
Spiritus sancti timoris,
Spriritus caritatis,
Spiritus gaudii,
Spiritus pacis,
Spiritus virtutum,
Spiritus multiformis gratiae,
Spiritus adoptionis Filiorum Dei,
Purificatur animarum nostrarum,
Ecclesiæ catholicæ sanctificator et rector,
Caelestium donorum distributor,
Discretor cogitationum et intetionum cordis,

Dulcedo in tuo servitio incipientium,
Corona perfectorum,
Gaudium angelorum,
Iluminatio patriarcarum,
Instpiratio prophetarum,
Os et sapientiae apostolorum,
Victoria Martyrium,
Scientia Condessorum,
Puritas virginum,
Unctio sanctorum omnium,

Propitius esto, parce nobis Domine,
Porpitius esto, exaudi nos Domine,

Ab omni peccato libera nos Domine,
Ad omnibus tentationinbus et insidiis diaboli,
Ab omnine presumptione e desesperatione,
Ab impugnationem veritatis agnitae,
Ab invidentia fraternae gratiae,
Ab omni obstinatione et impoenitentia,
Ab omni negligentia et tepore animi,
Ab omni immunditia mentis et corporis,
Ab haeresibus et erroribus universais,
Ab omni malo spiritu,
A mala et aeterna morte,

Per aeternam ex Patre ex Filioque processionem tuam,
Per miraculosam conceptionem Filii Dei,
Per descensionem tuam super Christum baptizatum,
Per sanctam apparitionem tuam in tranfiguratione Domine,
Per adventum tuum super discípulos Christi,
In die iudicii.
Peccatores, te rogamus, audi nos.

Ut nobis parcas,
Ut omnia Ecclesia membra vivificare et sanctificare digneris,
Ut verae pietatis, devotionis et orationis donum nobis dare digneris,
Ut sinceros misericordiae charitatisque affectus nobis inspirare digneris,
Ut spiritum novum et cor mundum in nobis creare digneris,
Ut veram pacem et cordis tranquilitatem nobis dare digneris,
Ut ad tollerandas propter iustitiam persecutiones nos dignos et fortes efficias,
Ut nos in gratia tua confirmare digneris,

Ut nos in numerum electorum tuorum recipias,
Ut nos exaudire digneris,
Spiritus Dei,

Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, effunde in nos Spiritum Sanctum.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, emitte promissum in nos Patris Spiritum.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, da nobis Spiritum bonum.
Spiritus Sanctum, audi nos.
Spiritus Paraclite, exaudi nos.

V. Emitte Spiritum tuum et creabuntur.
R. Et renovabis faciem terrae.

Oremus: Deus qui corda fidelium Sancti Spiritus illustratione docuisti, da nobis in eodem Spiritu recta sapere et de eius semper consolatione gaudere.

Per Christum Dominum nostrum. Amen.

 

Ave Maris Stella

Clique aqui para ouvir o canto gregoriano

Ave, do mar Estrela
De Deus mãe bela,
Sempre virgem, da morada
Celeste Feliz entrada.

Ó tu que ouviste da boca
Do anjo a saudação;
Dá-nos a paz e quietação;
E o nome da Eva troca.

As prisões aos réus desata.
E a nós cegos alumia;
De tudo que nos maltrata
Nos livra, o bem nos granjeia.

Ostenta que és mãe, fazendo
Que os rogos do povo seu
Ouça aquele que, nascendo
Pos nós, quis ser filho teu.

Ó virgem especiosa,
Toda cheia de ternura,
Extintos nossos pecados
Dá-nos pureza e bravura,

Dá-nos uma vida pura,
Põe-nos em vida segura,
Para que a Jesus gozemos,
E sempre nos alegremos.

A Deus Pai veneremos:
A Jesus Cristo também:
E ao Espírito Santo; demos
Aos três um louvor: Amém.

Ave, Maris Stella,
Dei mater alma,
Atque semper Virgo,
Felix caeli porta.

Sumens illud Ave,
Gabrielis ore,
Funda nos in pace
Mutans Evae nomen.

Solve vincla reis,
Profer lumen caecis,
Mala nostra pelle,
Bona cuncta posce.

Monstra te esse Matrem,
Sumat per te preces,
Qui pro nobis natus
Tulit esse tuus.

Virgo singularis,
Inter omnes mitis,
Nos, culpis solutos,
Mites fac et castos.

Vitam praesta puram,
Iter para tutum:
Ut, videntes Jesum,
Semper collaetemur.

Sit laus Deo Patri,
Summo Christo decus
Spiritui Sancto,
Tribus honor unus. Amen.

Leitura Espiritual

Estas leituras espirituais podem ser feitas no dia anterior, em preparação para a meditação do dia.

Evangelho - Mt 5, 33-48 —A nova Lei, complemento da antiga Lei (cont.)

33.Ouvistes ainda o que foi dito aos antigos: Não jurarás falso, mas cumprirás para com o Senhor os teus juramentos.
34.Eu, porém, vos digo: não jureis de modo algum, nem pelo céu, porque é o trono de Deus;
35.nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei.
36.Nem jurarás pela tua cabeça, porque não podes fazer um cabelo tornar-se branco ou negro.
37.Dizei somente: ‘Sim’, se é sim; ‘não’, se é não. Tudo o que passa além disso vem do Maligno.
38.Tendes ouvido o que foi dito: Olho por olho, dente por dente.
39.Eu, porém, vos digo: não resistais ao mau. Se alguém te ferir a face direi­ta, oferece-lhe também a ou­tra.
40.Se alguém te citar em justiça para tirar-te a túnica, cede-lhe também a capa.
41.Se alguém vem obrigar-te a andar mil passos com ele, anda dois mil.
42.Dá a quem te pede e não te desvies daquele que te quer pedir emprestado.
43.Tendes ouvido o que foi dito: Amarás o teu próximo e poderás odiar teu inimigo.
44.Eu, porém, vos digo: amai vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, orai pelos que vos [maltratam e] perseguem.
45.Deste modo sereis os filhos de vosso Pai do céu, pois ele faz nas­cer o sol tanto sobre os maus como sobre os bons, e faz chover sobre os justos e sobre os injustos.
46.Se amais somente os que vos amam, que recompensa tereis? Não fazem assim os próprios publicanos?
47.Se saudais apenas vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não fazem isso também os pagãos?
48.Portanto, sede perfeitos, assim como vosso Pai celeste é perfeito.”

Imitação de Cristo - Livro I, Cap V

Da leitura das Sagradas Escrituras

1. Nas Sagradas Escrituras devemos buscar a verdade, e não a eloquência. Todo livro sagrado deve ser lido com o mesmo espírito que o ditou. Nas Escrituras devemos antes buscar nosso proveito que a sutileza da linguagem. Tão grata nos deve ser a leitura dos livros simples e piedosos, como a dos sublimes e profundos. Não te mova a autoridade do escritor, se é ou não de grandes conhecimentos literários; ao contrário, lê com puro amor a verdade. Não procures saber quem o disse; mas considera o que se diz.

2. Os homens passam, mas a verdade do Senhor permanece eternamente (Sl 116,2). De vários modos nos fala Deus, sem acepção de pessoa. A nossa curiosidade nos embaraça, muitas vezes, na leitura das Escrituras; porque queremos compreender e discutir o que se devia passar singelamente. Se queres tirar proveito, lê com humildade, simplicidade e fé, sem cuidar jamais do renome de letrado. Pergunta de boa vontade e ouve calado as palavras dos santos; nem te desagradem as sentenças dos velhos, porque eles não falam sem razão.

Meditação

Guardai-vos e acautelai-vos de toda a avareza, porque a vida de cada um, ainda que esteja na abundância, não depende dos bens que possui

Lc 12,15

Ao espírito de posse dos mundanos, sejamos felizes por opor o espírito de desapego do Salvador. Qeu força para nossas almas cristãs! E também que segurança! Estamos assegurados de avançar no reto caminho, seguindo o Mestre em quem não há engano.

Roguemos à Santíssima que coloque em nosso coração os sentimentos de admiração, os ímpetos de amor que ela experimentava, neste mundo, ao ver e ao escutar seu Divino Filho, considerando:

  1. O exemplo de desapego que ele nos dá em sua divina pessoa
    Se observarmos o divino Modelo, seja em seu exemplo de sublime desapego diante dos bens deste mundo em seu nascimento na pobreza do estábulo e na manjedoura, seja em sua apresentação no Templo, oferecendo o sacrifício dos pobres, seja em seu exílio no Egito e, sobretudo, durante os anos de Nazaré em que viveu em sujeição ao trabalho manual cotidiano e ausência de conforto e bem-estar temporal. Durante sua vida pública, Jesus não terá sequer uma habitação para si (Mt 4, 13; Lc 9, 57s), vivendo na pobreza, sendo acolhido na humilde casa de São Pedro, tão frágil e pobre que facilmente passam por seu teto um paralícito em seu catre (Mc 2, 4), vivendo em humilhação, como em Belém e Samaria, em que uma a uma se fecharam as casas a Ele, até Jerusalém, onde enfim terá onde repousar sua cabeça - sobre o madeiro da Cruz.
  2. Aos ensinamentos que nos deixou em seu Evangelho
    O sermão da montanha começa por exaltar a felicidade dos que carregam dentro de si uma alma de pobreza: Beati pauperes spiritu - Bem-aventurados os pobres de espírito (Mt 5, 3). Bem-aventurados os pequenos e os humildes, os deserdados deste mundo, que aceitam sua condição em um sentimento de submissão e de abandono à Providência. Nosso Senhor não quis beatificar a pobreza material apenas: Aquele que é pobre, mas inveja a riqueza ou a deseja ardentemente, pondo nela sua felicidade, não é pobre de espírito.

    Jesus não condenou a riqueza em si mesma. Os magos, que correram à mangedoura, eram ricos. São José de Arimateia era rico. Muitos santos ao longo da história da Igreja foram muito ricos, mas praticaram o desapego, puseram seus bens a serviço de Cristo, permaneceram internamente pobres, por suas disposições interiores, e assim detinham a promessa do Reino dos Céus. Regozijemo-nos, pois,  se somos desprovidos ou pouco favorecidos com os bens da fortuna. Enquanto não tenha condenado a riqueza, insistiu muito, porém, sobre a dificuldade para os ricos de conquistar sua salvação. Estes estão mais propensos a esquecer Deus e a vida vindoura, devido à facilidade de encontrar nesse mundo todas as satisfações que desejam: O perigo das riquezas vem precisamente do fato de que elas fazem esquecer a fonte de todos os bens e o único tesouro verdadeiro, Deus.

    Acrescenta, ainda, o Divino Redentor a essa lição a lição do rico mau (Lc 16) e o encontro com o jovem rico (Mt 19, 16ss), provando a impossibilidade de conciliação entre o amor a Deus e o amor às riquezas: "Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro, ou há de afeiçoar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e à riqueza" (Mt 6,24). Dediquemo-nos, pois, a sempre preservar nosso coração muito desapegado, mesmo do pouco que possamos possuir, no abandono à Providência do Pai dos Céus. E assim, encontraremos entre as mãos  de nossa Mãe e Rainha, o mérito de nossa pobreza transformada em glória; e de modo semelhante, todos os outros méritos que lhe tivermos confiado em virtude de nossa Consagração. Sem contar que tal desapego até de nossos bens espirituais não pode senão nos fazer penetrar cada dia mais profundamente na alegria da primeira Beatitude proclamada sobre a montanha

Ó Maria, que seguistes as etapas desse desapego, fazei que conservemos como vós os olhos fixados sobre o Divono Modelo. Visto que Ele desejou - mesmo sendo o Rei do Céu e da Terra - contentar-se com tão pouco, durante os anos de sua passagem entre nós, ensinai-nos, a seu exemplo, a usar sempre com moderação os bens temporais colocados por sua Providência à nossa disposição. Então, mais desapegados e desembaraçados, avançaremos com um coração leve e passos rápidos rumo à posse dos bens imperecíveis.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *