Preparação para a Consagração – Orientações gerais

Para os exercícios de preparação para a Consagração e as aulas do curso, clique aqui

A preparação para a Consagração

A Consagração de São Luís Maria de Montfort é coisa tão eminente e tão perfeita que todas as pessoas atraídas a ela começam a experimentar a necessidade de uma séria e sólida preparação. Não pode ser suficiente, de fato, exprimir num determinado dia essa total doação de si mesmo, por mais sinceras que possam ser, então, as disposições de cada um. O essencial será “entrar em seu espírito, que é o de tornar uma alma interiormente dependente e escrava da Santíssima Virgem e de Jesus por meio dela”. (Segredo de Maria, n. 44)

Eis por que nosso Santo não hesitou em pedir a todos os que desejam engajar-se nesse caminho de perfeição um trabalho ascético claramente delimitado:

  1. “Depois de ter empregado, diz ele, pelo menos doze dias para ESVAZIAR-SE do espírito do mundo, contrário ao de Jesus Cristo, empregarão três semanas para ENCHER-SE de Jesus Cristo, por meio da Santíssima Virgem. Eis a ordem que poderão observar:
  2. Durante a primeira semana, empregarão todas as suas orações e ações de piedade para pedir o conhecimento de si mesmos e a contrição de seus pecados; e farão tudo em espírito de humildade…
  3. Durante a segunda semana, dedicar-se-ão, em todas as suas orações e obras de cada dia, a conhecer a Santíssima Virgem. Pedirão esse conhecimento ao Espírito Santo…
  4. Empregarão a terceira semana para conhecer Jesus Cristo…

Ao fim dessas três semanas, confessar-se-ão e comungarão, visando doar-se a Jesus Cristo, na qualidade de escravos de amor, pelas mãos de Maria. E, depois da comunhão, recitarão a fórmula de sua consagração… Importa que a escrevam ou a façam escrever, se ela não estiver impressa, e que a assinem no mesmo dia em que a fizerem”. (Verdadeira Devoção, n. 227-231.)

Como vemos, esses Exercícios preparatórios estão divididos em quatro períodos de diferente duração: um primeiro período de doze dias e outros três períodos de seis dias cada um, denominados como “semanas” por nosso santo; o que leva a uma duração total da preparação de exatamente trinta dias.

Pe Dayet, Exercícios Preparatórios. Ed. Pinus

Os exercícios

Embora apenas as orações vocais sejam citadas por São Luís, recomenda-se vivamente empregar os outros meios para melhor aproveitamento de cada um dos dias da preparação. Diariamente, são oferecidos três tipos de exercícios: A leitura espiritual, as orações mentais e as orações vocais:

  1. A leitura espiritual, preferencialmente feita na noite anterior ao dia, conforme a prática tradicional de se ler antes de dormir e meditar imediatamente após acordar;
  2. A oração mental, ou meditação, que consistirá em algumas considerações
  3. As orações vocais, normalmente a ladainha do Espírito Santo, o Ave Maris Stella e o Rosário

 

Considerações sobre os doze dias preliminares

É um princípio admitido por todos os mestres da vida espiritual que a alma que deseja se elevar, por uma generosa correspondência à graça, até a perfeita união com Cristo, deve primeiro preparar para Ele, em seu interior, uma morada digna do Hóspede divino. Importa-lhe, pois, começar por afastar os obstáculos que se opõem a essa união.

O Doutor Angélico nos ensina, de fato, que a dedicação principal da alma que se inicia na caridade deve ser em afastar-se dos caminhos do pecado e resistir às cobiças maliciosas que vêm incessantemnete contrariar seu movimetno em direção a Deus. Ora, é bem a esse trabalho de purificação interior que tende radicalmente São Luís Maria de Montfort, quando começa por exigir das almas que querem, como ele, consagrar-se inteiramente a Maria, o esvaziamento completo, nelas, do espírito do mundo. Esse é o primeiro trabalho imposto, ao qual elas everão se dedicar durante pelo menos doze dias, desde o começo dos Exercícios. Esse não é ainda senão um trabalho preliminar e como que uma primeira etapa a ultrapassar.

Importa necessariamente, portanto, que a alma desejosa de lançar-se a Maria, para melhor se conformar a Jesus, dedique-se a fazer em seu interior o esvaziamento completo desse espírito mundano. Para isso é preciso, antes de tudo, refletir sobre a oposição que existe entre o mundo e Jesus Cristo. Consagraremos a isso as meditações dos seis primeiros dias:

  1. O mundo e seu espírito de gozação da vida
  2. Jesus Cristo e seu espírito de penitência
  3. O mundo e seu espírito de posse
  4. Jesus Cristo e seu espírito de desapego
  5. O mundo e seu espírito de orgulho
  6. Jesus Cristo e seu espírito de humildade

Aprofundaremos, depois, os quatro meios de São Luís nos propõe nos últimos capítulos de seu Amor da Sabedoria Eterna para nos libertar do espírito do mundo e nos preparar para adquirir o espírito de Jesus Cristo:

  1. Um desejo ardente
  2. Uma oração contínua
  3. Uma mortificação universal
  4. Uma verdadeira devoção a Maria

Sendo esse quarto meio o maior, o mais poderoso de todos, insistiremos sobre essa inimizade irreconciliável, desejada por Deus, entre Maria e o príncipe do mundo, a qual deve se reproduzir em todos os fiéis escravos da Virgem. Essas serão nossas duas últimas meditações do período preliminar:

  1. A inimizade entre Satanás e Maria
  2. A inimizade entre a raça de Satanás e a descendência de Maria

Pe Dayet, Exercícios Preparatórios. Ed. Pinus

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *