Bula Omnipotentis Dei

BULA
OMNIPOTENTIS DEI
DE SUA SANTIDADE
PAPA GREGORIO XIII
SOBRE A CONGREGAÇÃO MARIANA

 

Deus onipotente, nosso salvador, de sua superabundante misericórdia continuamente derrama sobre os corações dos fiéis a graça de divinas inspirações e fervor de devoção para que seus servos possam render a sua divina majestade a devida honra com frutos para si mesmos e possam cultivar todas as obras de piedade.

Nós, a seu exemplo, interessamo-nos  verdadeiramente, como é o dever de nosso ofício, em auxiliá-los e favorecê-los na execução desses trabalhos pios e exercícios celestiais, de modo que sua piedade e devoção possam estar em constante crescimento e que possam alcançar, com segurança, a salvação.

Antes disso, fomos informados que uma grande parte dos devotos jovens que estão engajados no estudo das letras em nosso Colégio Romano da Sociedade de Jesus, movidos por um vivo sentimento de afeto pela Beatíssima Virgem Maria, Mãe Deus, e exortados pelas piedosas exortações de seus professores, formularam a prática de visitar, em certos dias e horários, a Igreja da Anunciação anexa a seu colégio, para purificar suas consciências com sincera devoção e com viva contrição, através da confissão e sagrada comunhão, a recitar o breviário, ouvir instruções e aulas e executar outros trabalhos espirituais salutares. Também fomos informados que, graças ao seu exemplo, vários outros fiéis se uniram e congregaram com os mesmos objetivos de Zelo Cristão.

Por isso, desejosos de dar amplo desenvolvimento a essa piedosa associação, demos aos estudantes e demais fiéis que participam desses piedosos exercícios e trabalhos, muitas indulgências, como pode ser testemunhado nas cartas que demos naquela ocasião1.

Desde então, como nosso muito amado filho, o Superior-Geral da Companhia de Jesus2, recentemente nos informou que os Colégios da Companhia se espalharam pelo mundo, especialmente nas principais cidades da Europa, e como para formar os jovens em virtude e moralidade, imbuí-los de verdadeira piedade e reta doutrina e como muito claramente evidenciaram os estudantes grande fervor na imitação desses excelentes trabalhos de piedade, tendo sido colhida uma colheita copiosa para a glória de Deus pela veneração da Santíssima Virgem Maria, pelo bem estar do povo e pela consolação das almas, com a intenção de estarmos calorosamente nutrindo e mantendo com segurança este louvável zelo pelas boas obras e devotos exercícios, pareceu-nos bom que o Colégio Romano, depois de haver dado origem a estes piedosos e salutares exercícios, possuísse a primeira e principal congregação canonicamente estabelecida.

Satisfaríamos, assim, a humilde petição do Superior-Geral da Companhia, que nos pediu que déssemos nossa aprovação a essa obra e provêssemos, de nossa benevolência apostólica, como pudesse ser oportuno.

Desejando, então, cordialmente apoiar os piedosos desejos dos estudantes e encorajar seu ardor na execução desses exercícios de devoção, aceitamos seus pedidos e pela nossa autoridade Apostólica, e pelo teor desta bula, erigimos e instituímos na igreja designada acima este sodalício, a congregação que será a primária, e será a mãe de todas as outras, sob o título de Anunciação da Bem-Aventurada Virgem Maria, composta de estudantes do colégio e todos os demais fiéis fielmente devotados a ela.

Desejamos que a Congregação Primária seja dirigida pelo Superior Geral e cada um de seus sucessores, e após entre a morte e a eleição canônica do novo Superior, pelo Vigário da Companhia, sem prejudicar, no entanto, os interesses da Companhia.

E para que os membros desta congregação possam sempre receber incremento de devoção e piedade nas graças e dons celestiais que serão favorecidos, confiando na misericórdia de Deus Onipotente, pela autoridade dos Bem-Aventurados S. Pedro e S. Paulo, livremente concedemos no Senhor, pelo teor do presente breve e pela nossa autoridade apostólica, indulgência3:

  • plenária, de todos os pecados no dia de sua recepção para todos fiéis que, verdadeiramente penitentes e confessados de seus pecados, entrarem nas fileiras dos membros desta piedosa congregação e receberem a Santíssima Eucaristia na referida igreja ou em qualquer outra;
  • plenária, na hora da morte (in articulo mortis);
  • plenária, a fiéis de ambos os sexos que, verdadeiramente penitentes e confessados, recebendo a sagrada comunhão na festividade da Anunciação de Nossa Senhora, desde as primeiras vésperas até o por do sol do dia da festa, visitarem devotamente e rezarem pela preservação dos estados cristãos, a extirpação das heresias, a paz mútua e universal entre os príncipes cristãos e pelas necessidades e prosperidade do Romano Pontífice, assim como outras orações que o sugiram a devoção derramada por Deus;
  • plenária, aos congregados, igualmente penitentes e confessados, nas festas do Natal do Senhor, da Anunciação, da Assunção, da Imaculada Conceição e da Natividade da Santíssima Virgem Maria, receberem a Comunhão nesta igreja ou em outra;
  • de um ano, aos congregados que derem a outros congregados ou a demais fiéis uma sepultura eclesiástica;
  • de igual modo, aos enfermos e impedidos se, ao ouvirem o sino, exceto se a doença não o permitir, rezarem um Pater Noster e uma Ave Maria pela salvação da alma de defunto ou pela saúde do enfermo;
  • de um ano, aos membros que participarem das congregações, públicas ou privadas, na reza do Ofício, nas leituras e colóquios espirituais, nas exortações e demais ofícios piedosos ou fiéis defuntos, conforme ordenado pela Congregação Primária e aprovado pelo Superior ou Vigário da Companhia
  • de um ano, aos congregados que se fazem presentes nas missas durante a semana;
  • de um ano, aos que pela noite examinarem diligentemente sua consciência;
  • de um ano, aos congregados que visitarem os pobres enfermos em hospitais ou casas privadas;
  • de igual modo, aos que visitarem os encarcerados;
  • de um ano, aos que reconciliarem inimigos;
  • de quarenta dias, nas estações de Roma.

Aqueles que se abstiverem da Cidade (Roma) lucram a indulgência, de mesmo modo, se em uma Congregação fora de Roma se congregarem e se mantiverem fiéis aos exercícios da Congregação Primária, mesmo na ausência de uma congregação onde moram.

 

O Superior-Geral ou o Vigário Geral tem o poder de erigir outras congregações fora de Roma em colégios da Companhia ou em suas igrejas, para aumento do trabalho religioso, ou mesmo em qualquer outro lugar de estudo de letras, sob o título de Congregação da Anunciação da Bem-Aventurada Virgem Maria, submissa e agregada à Congregação Primária ou Sodalício Primário sob o título da Anunciação no Colégio Romano.

De igual modo, sem prejuízo para a Companhia, o Superior Geral tem o poder de criar, instituir e agregar à Primária outras congregações feitas fora de Roma, e aceitar os membros nelas, conferindo-os, pelo poder desta bula, as mesmas indulgências, remissões e benefícios conferidos à Primária […] e de controlar suas regras.

[…]4

O que aqui foi concedido, terá duração perpétua para o futuro.

A nenhum homem é permitido infringir o nosso perdão, ereção, instituição, concessão, indulgência, remissão, ou vontade. Mas, se alguém tiver a presunção de tentar isso, saiba que a ira de Deus Todo-Poderoso e dos Bem-Aventurados S. Pedro e S. Paulo cairá sobre ele.

Dado em Roma, junto de S. Pedro, no ano do Senhor MDLXXXIV, nove de dezembro, terceiro ano de nosso pontificado

Gregorio XIII

Tradução por um congregado mariano


Versão Original em latim

OMNIPOTENTIS DEI Salvatoris nostri, qui, ex pietatis suae superabundantia, fidelium mentibus coelestis inspirationis gratiam et devotionis ardorem, ad Divinae Majestatis obsequia et piorum operum exercitia salubriter peragenda, continue infundit, exemplo adducti, in earn pastoralis officii curam cogitationemque sedulo incumbimus, per quam ipsorum fidelium, fructuosis hujusmodi operibus et exercitiis vacantium, religio et devotio continuum suscipiat incrementum, eisque votiva salus proveniat animarum.

Alias siquidem per Nos accepto quod plerique probi et pii adolescentes, bonarum litterarum studiis in Gollegio Nostro Societatis Jesu de Urbe insistentes, singular! erga Beatissimam Mariam Virginem, Dei genitricem, aftectu ducti, ac etiam Lectorum et Magistrorum suorum spiritualibus cohortationibus ad id accensi, Ecclesiam Annuntiationis ejusdem Beatae Mariae, in corpore aediiiciorum dicti Collegii consistentem, certis statutis diebus et horis frequentare et cum eximia devotionis sinceritate cordisque contritione conscientiam suam per Confessionis et Sanctissimae Eucharistiae ministerium expurgare, ac divinis officiis, colloquiis et exhortationibus spiritualibus aliisque piis et salutaribus operibus vacare soliti erant, factoque inde ad illorum exemplum majore aliorum concursu, mutuis studiis se invicem consociaverant: Nos, ut pium hoc institutum peramplius coalesceret, eisdem et aliis Christi fidelibus hujusmodi spiritualibus operibus et exercitiis pro tempore addictis, nonnullas Indulgentias et peccatorum suorum remissiones concessimus ; prout in Nostris inde confectis litteris plenius continetur.

Cum autem, sicut exhibita Nobis nuper, pro parte dilecti filii Praepositi Generalis dictae Societatis, petitio continebat, in diversis mundi et partibus praesertim insignioribus Europae civitatibus, ejusdem Societatis Collegia ad juventutem bonis moribus et virtutibus ornandam ac vera pietate sacraque doctrina imbuendam propagari ; illorumque externi scholares ibidem studiorum causa confluentes, optima devotionis et piorum operum hujusmodi exercitia ferventi studio imitari ; et exinde multiplices fructus ad Dei gloriam ipsiusque Divini Nominis cultum, ac Beatae Mariae Virginis honorem, necnon publicam salutem et spiritualem consolationem pro venire coeperint; et operae pretium sit ut, quemadmodum piarum et fructuosarum exercitationum hujusmodi institutum, a scholaribus dicti Collegii de Urbe, (quod Nostris auspiciis et impensis magnifico aedificiorum et structurarum opere a fundamentis innovatur et exstruitur), primordium suum in dicta Ecclesia Annuntiationis Beatae Mariae habuit, ita quoque inibi eorundem scholarium Primaria Congregatio seu Primarium Sodalitium, sub titulo ejusdem Annuntia tionis Beatae Mariae, ad laudabile eorum in piis operibus et officiis hujusmodi studium, Nostris beneficiis et Indulgentiarum praemiis conservandum ac augendum, stabiliatur et instituatur: pro parte ipsius Praepositi Nobis fuit humiliter supplicatum ut praemissis annuere, et desuper opportune providere de benignitate Apostolica dignaremur.

Nos igitur, religiosum ipsorum scholarium in his spiritualibus exercitiis studium piae voluntatis affectu prosequi volentes, ipsumque Praepositum a quibusvis excommunicationis, suspensionis et interdicti aliisque ecclesiasticis sententiis, censuris et poenis, a jure vel ab homine quavis occasione vel causa latis, si quibus quomodolibet innodatus existit, ad effectum praesentium dumtaxat consequendum, harum serie absolventes et absolutum fore censentes; necnon litterarum praedictarum tenores praesentibus pro expressis habentes; hujusmodi supplicationibus inclinati, in eadem Eccleaia unam sen unum externorum scholarium dicti Collegii Nostri, ac etiam aliorum Christi fidelium Societati praedictae devotorum, Primariam Congregationem seu Primarium Sodalitium, sub titulo Annuntia tionis Beatae Mariae hujusmodi, quae seu quod per praedicttim et pro tempore exsistentem Praepositum Generalem dictae Societatis seu, illo defuncto, donee alius ad officium Praepositi Generalis hujus modi canonice assumatur, per Vicarium etiam Generalem ejusdem Societatis, dirigi debeat, Apostolica auctoritate, tenore praesentium, perpetuo, sine tamen ipsius Societatis praejudicio, erigimus et instituimus. Ut autem Primaria Congregatio seu Primarium Sodalitium hu jusmodi per gratiarum et munerum coelestium largitionem, devotionis ac pietatis jugiter proficiat incrementis, de omnipotentis Dei misericordia ac BB. Petri et Pauli, Apostolorum ejus, auctoritate confisi,

Omnibus et singulis Christi fidelibus, vere poenitentibus et confessis, qui deinceps in Sodales ejusdem Primariae Congregationis seu Primarii Sodalitii recipientur, tarn die receptionis eorum, si Sanctissimum Eucharistiae Sacramentum in praedicta Ecclesia, aut ubicumque potuerint, eo die sumpserint; Quam in mortis articulo; Necnon ipsis ac omnibus et singulis aliis utriusque sexus Christi fidelibus, etiam vere poenitentibus et confessis Sacraque Communione refectis, qui Ecclesiam praedictam die festivitatis ejus dem Annuntiationis Beatae Mariae, a primis vesperis usque ad occasum solis ipsius festivitatis, devote visitaverint, et inibi pro reipublicae Christianae conservatione et augmento, haeresum extirpatione Principumque Christianorum mutua et universali pace, ac Nostra et pro tempore exsistentis Romani Pontificis prosperitate, vel alias preces, prout unicuique suggerit devotio, ad Deum devote effuderint; Insuper eisdem Sodalibus, similiter vere poenitentibus et 519 confessis, qui in Nativitatis et Ascensionis Domini nostri Jesu Christi ac Annuntiationis, Assumptions et Conceptionis necnon Nativitatis Beatae Mariae Virginia festis diebus, praedictum Sanctissimum Sacramentum ibidem vel alibi acceperint; Plenariam omnium peccatorum suorum Indulgentiam et remissionem, Apostolica auctoritate et tenore praesentium, misericorditer in Domino concedimus et elargimur.

Ipsisque Sodalibus qui de eorum numero exsistentium vel aliorum Christi fidelium defunctorum corpora ad sepulturam ecclesiasticam associaverint; Aut infirmi vel impediu, audito signo campanae, genuflexi, si per infirmitatem licebit, Orationem Dominicam et Salutationem Angelicam pro salute animae defuncti vel corporis infirmi recitaverint;

Necnon qui congregationibus, tam publicis quam privatis, ac Divinis officiis spiritualibusque colloquiis, exhortationibus et aliis piis officiis, etiam in Sodalis sen aliorum Christi fidelium defunctorum sufrragium , per Primariam Congregationem sen Primarium Sodalitium ordinandis et ab ipso Praeposito seu Vicario Generali approbandis;

Quique diebus feriatis Missae Sacrificio interfuerint; Aut vespertine tempore, antequam cubent, conscientiam suam diligenter examinaverint; Seu pauperes infirmos, tam Sodales quam alios, in hospitalibus vel privatis domibus;

Necnon carceratos visitaverint; 526 Aut pacem inter inimicos conciliaverint ; Quoties horum quodvis fecerint, unum annum de eis injunctis vel alias quomodo libet debitis poenitentiis, Apostolica auctoritate et tenore similibus, etiam misericorditer in Domino relaxamus; quascumque alias, praesentibus non expressas, Indulgentias et peccatorum remissiones, etiam plenarias, et relaxationes scholaribus et aliis praedictis, ratione died eorum instituti vel alias in communi, per Nos et Sedem

Apostolicam quomodolibet concessas revocando et abrogando. Insuper ne praefati Sodales. si aliquando eos ab ipsa Urbe abesse vel alibi commorari contingat, hujusmodi Indulgentiarum et aliarum effectu et fructu frustrati gratiarum spiritualium remaneant, eisdem Sodalibus extra Urbem ubivis locorum pro tempore commorantibus ut, in locis ubi eos pro tempore residere seu morari contigerit, opera praedicta quae ipsi Sodales in Urbe praesentes pro singularum Indulgentiarum, remissionum et relaxationum hujusmodi consecutione observare deberent, apud Ecclesias eorundem locorum aut alibi, prout poterunt, observando et exsequendo, omnes easdem Indulgentias, remissiones et relaxationes habeant. et illae eis pariter suffragentur.

Necnon tarn in Urbe praesentes, quam alibi ubivis locorum com morantes Sodales Primariae Congregationis seu Primarii Sodalitii hujusmodi, qui singulis Quadragesimalibus et aliis anni temporibus ac diebus Stationum Ecclesiarum dictae Urbis et extra illius muros, quae a Christi fidelibus pro consequendis Indulgentiis et remissionibus visitari solent, dictae Societatis, si ibi fuerit, alioquin aliam Ecclesiam seu Cappellam in locis ubi eos pro tempore residere seu morari contigerit, ut praefertur, devote visitaverint, et ibi septies Orationem Dominicam et septies Salutationem Angelicam recitaverint, tot et easdem Indulgentias consequantur quas consequerentur si, iisdem temporibus et diebus, singulas Ecclesias dictae Urbis et extra illius muros hujusmodi pro iisdem Stationibus et Indulgentiis consequendis deputatas personaliter visitarent, ac omnia et singula quae pro hujusmodi gratiarum consecutione quomodolibet requiruntur plene adimplerent.

Praeterea eidem Praeposito, sen Vicario Generali pro tempore exsistenti, ut in quibusvis aliis dictae Societatis Collegiis extra Urbem praedictam per universum orbem nunc et pro tempore erectis, seu eorum Ecclesiis, pro eorundem piorum operum incremento, quascumque alias seu quaecumque alia scholarium ibidem litterarum studiis insistentium et aliorum Christi lidelium ipsi Societati devotorum Congregationes seu Sodalitia, sub eo titulo Annuntiationis Beatae Mariae, quae ab ipsa PrimariaCongregationeseu Primario Sodalitio tanquam membra a capite dependeant, auctoritate Nostra, sine tamen Societatis aut Collegiorum et Ecclesiarum hujusmodi praejudicio, erigere et instituere; illasque seu ilia eidem Primariae 533 Congregationi seu Primario Sodalitio aggregare; ac eis sic erectis, institutis et aggregatis eorumque Sodalibus praedictas ac omnes et quascumque alias Indulgentias, peccatorum remissiones, relaxatio nes, gratias et facultates, tarn spirituales quam temporales, a Nobis dictaque Sede Primariae Congregationi seu Primario Sodalitio de caetero concedendas, ita ut Sodales aliarum Congregationum seu aliorum Sodalitiorum hujusmodi, observantes et exequentes ea quae ipsius Primariae Congregationis seu Primarii Sodalitii Sodales pro Indulgentiis, remissionibus et relaxationibus hujusmodi conse quendis observare et exsequi debent, easdem Indulgentias, pecca534 torum remissiones et relaxationes pariter consequantur, facultate aggregandi et gratias hujusmodi aliis concedendi dumtaxat excepta, communicare; necnon tam Primariam seu Primarium, quam omnes et singulas ei aggregandas Congregationes seu omnia et singula aut alibi, prout poterunt, observando et exsequendo, omnes easdem Indulgentias, remissiones et relaxationes habeant. et illae eis pariter suffragentur.

Necnon tarn in Urbe praesentes, quam alibi ubivis locorum commorantes Sodales Primariae Congregationis seu Primarii Sodalitii hujusmodi, qui singulis Quadragesimalibus et aliis anni temporibus ac diebus Stationum Ecclesiarum dictae Urbis et extra illius muros, quae a Christi fidelibus pro consequendis Indulgentiis et remissionibus visitari solent, dictae Societatis, si ibi fuerit, alioquin aliam Ecclesiam seu Cappellam in locis ubi eos pro tempore residere seu morari contigerit, ut praefertur, devote visitaverint, et ibi septies Orationem Dominicam et septies Salutationem Angelicam recitaverint, tot et easdem Indulgentias consequantur quas consequerentur si, iisdem temporibus et diebus, singulas Ecclesias dictae Urbis et extra illius muros hujusmodi pro iisdem Stationibus et Indulgentiis consequendis deputatas personaliter visitarent, ac omnia et singula quae pro hujusmodi gratiarum consecutione quomodolibet requiruntur plene adimplerent.

[…]

Nulli ergo omnino hominum liceat hanc paginam Nostrae absolutionis, erectionis, institutionis, concessionis, elargitionis, relaxationis, indulti, decreti et voluntatis infringere, vel ei ausu temerario contraire. Si quis autem hoc attentare praesumpserit, indignationem omnipotentis Dei ac BB. Petri et Pauli, Apostolorum ejus, se noverit incursurum.

Datum Romae, apud S. Petrum, anno Incarnationis Dominicae MDLXXXIV, nonis Decembris, Pontificatus Nostri anno tertiodecimo.


 

  1. O papa se refere aqui a uma lista de indulgências, hoje presente apenas nas Atas da Companhia de Jesus e no Arquivo do Vaticano
  2. Padre Claudius Aquaviva, na ocasião
  3. Na bula, obviamente, não se fez esta organização de pontos. Assim o fizemos para facilitar a compreensão e a leitura
  4. Omite-se, nesta tradução, cerca três parágrafos que tratam das cláusulas confirmatórias e da orientação quanto às cópias da bula, por dificuldade de legibilidade do texto original

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *