Primeira Comunhão das Crianças da Turma de Catecismo

“Jesus vero ait eis sinite parvulos et nolite eos prohibere ad me venire talium est enim regnum cælorum” (Mt. XIX. 14)

As Sagradas Escrituras manifestam muito claramente o amor de Nosso Senhor Jesus Cristo pelas crianças, nos relatos registrados pelos Evangelistas, nas vezes em que buscava aproximar-se delas, chegando até a repreender os apóstolos que quiseram apartá-las do Bom Pastor: “deixai que os meninos venham a mim, e não os proibais, pois deles é o Reino de Deus”. E quanto estimava a sua inocência e a candura de suas almas, bem o manifestou quando, chamando a um menino, disse a seus discípulos: “Na verdade vos digo, se não vos fizerdes como meninos, não entrareis no reino dos céus. Todo aquele que se humilhar como este menino, este é o maior no reino dos céus: E aquele que receber um menino tal como estes em meu nome, a Mim é que recebe” (Mt 18, 3. 4. 5).

São Pio X, Papa que travou contínua luta pelos direitos da Igreja e contra as heresias modernas, também preocupou-se com a vida devota dos fiéis, incentivando a comunhão diária e a confissão e comunhão das crianças a partir do momento que passam a distinguir o Pão Sagrado do pão ordinário. Assim o fez no decreto Quam Singulari, lembrando da preocupação da Igreja para com as crianças e da discilpina a respeito dos Sagrados Sacramentos.

Continua ainda o Santo Papa da Eucaristia: “a idade de discrição para comungar é aquela em que o menino sabe distinguir o pão Eucarístico do pão comum e corporal para poder devotamente aproximar-se do altar. Portanto não se exige um conhecimento completo das verdades da Fé, pois basta só conhecer alguns elementos, isto é, ter alguns conhecimentos, nem se requer o uso perfeito e cabal da razão, pois basta um princípio, isto é, algum uso da razão. Conseguintemente, protelar para mais tarde a Comunhão, e determinar idade mais adiantada para a receber, é costume que de todo se deve reprovar”. Assim escreve o santo padre, resumindo as doutrinas de S. Tomás e do Concílio de Trento, para que “os meninos desde a mais tenra idade se abracem com Jesus Cristo e vivam da sua vida n’Ele encontrem preservação contra os perigos da corrupção”1

Com base nesses princípios, a Congregação Mariana preparou, através da seção de catecismo, a turma de crianças para recepção dos Sacramentos da Penitência e da Eucaristia. Após um ano de preparação e do recebimento do sacramento da penitência, as crianças da turma de catecismo tiveram a felicidade de receber o Bom Jesus no Santíssimo Sacramento, no dia da Imaculada Conceição da Virgem Santíssima.

  1. Cfr. Decreto Quam Singulari, de S. Pio X
Loading Likes...

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *