S. João Cornay, mártir

Nascimento

27/02/1809, em Loudoun, na França.

Morte

20/09/1837, em Son Tay, Vietnã.

Beatificação

27 de maio de 1900, pelo Papa Leão XIII

Canonização

19 de junho de 1988, pelo Papa João Paulo II

Festa Litúrgica

24 de Novembro

Onde Foi Congregado

Colégio de Montmorillon dos Jesuítas na França.

João Carlos Cornay nasceu em Loudun, na França, sendo o terceiro filho de seus pais. Tinha um irmão e três irmãs, todos tendo recebido desde cedo uma boa educação católica. Cornay estudou primeiro na escola Saint-Louis em Saumur, depois no seminário menor jesuíta de Montmorillon, ingressando posteriormente no seminário maior de Poitiers. Era conhecido por ser um estudante normal, humilde e gentil. Em Poitiers, recebeu a tonsura em junho de 1828 e as Ordens Menores um ano depois. Ascendeu a subdiácono em junho de 1830.

Depois de completar seus estudos teológicos, deixou Poitiers para entrar no seminário da Sociedade das Missões Estrangeiras de Paris. Sua vocação missionária foi recebida com relutância por parte de seus pais. Foi a primeira luta para ser fiel ao chamado de Deus, uma vez que se viu em oposição aos desejos dos dois.

Para a mãe, disse: "Deixe-me ir a Paris, eu terei pelo menos três anos lá, com todas as oportunidades para examinar minha vocação, e todos os meios de prepará-la, se for autêntica". Mas sua permanência no Seminário de Missões Estrangeiras em Paris foi breve, devido a períodos de insegurança revolucionária. O seminário foi invadido, tendo sido colados cartazes proclamando morte aos jesuítas.

Após a ordenação diaconal, S. João Cornay deixou a França para ir à província de Sichuan, na China. Foi secretamente ordenado ao sacerdócio três anos depois, em 26 de abril de 1834, depois de viajar pelo Rio Vermelho disfarçado de chinês. Em seu ministério esgotante, ele estava sempre calmo, até mesmo alegre. Mesmo sua saúde deteriorada não fez nada para reduzir sua fé.

Foi preso em 1837, acusado de ser o líder de uma seita maligna e de fomentar uma rebelião. Foi submetido a um colar de tortura e depois à gaiola. Sua resposta à tortura foi cantar. "Depois de cinquenta golpes fui desamarrado. Chegando na prisão, cantei o Salve Regina, o hino à Virgem".

Em setembro de 1837, conforme decretado pelo imperador Minh Mang, ele foi desmembrado e decapitado perto da cidadela de Son-Tay, após sofrer cruéis suplícios. Sua cabeça ficou exposta por três dias e depois jogada no rio.

No meio de todo tipo de dificuldades e mesmo diante da morte, Cornay proclamou sua fé: "O Senhor é fiel: espera de nós total confiança em suas promessas". Ele escreveu a seus pais: "Quando vocês receberem esta carta, meu querido pai, minha querida mãe, não sofram pela minha morte; consentindo com minha partida, vocês já fizeram a maior parte do sacrifício".

Sua canonização se deu em 1988 juntamente com mais 116 mártires do Vietnã, cujo dia é comemorado em 24 de novembro. Seus restos mortais estão na igreja em Chieu-Ung.

Loading Likes...

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *