S. Mariana de Jesus de Paredes, virgem

Virgem, primeira santa do Equador. Chamada a “Açucena de Quito”.

Nascimento
31 de outubro de 1618 em Quito, Equador

Morte
26 de maio de 1645, em Quito, Equador (26 anos)

Beatificação
10 de novembro de 1853 pelo Papa B. Pio IX

Canonização
9 de julho de 1950 pelo Papa Pio XII

Festa Litúrgica
02 de junho

Onde foi Congregada
Na Congregação da Iglesia de la Compañia de Jesús em Quito, Equador.

Santa Mariana de Jesus de Paredes ou Santa Maria Ana de Jesus de Paredes y Flores, OFS, é uma santa Católica Romana e a primeira a ser canonizada no Equador. Ela foi uma eremita que dizia que tinha que sacrificar a si mesma para a salvação de Quito.

Mariana de Jesus de Paredes nasceu no dia 31/10/1618 na cidade de Quito, no Novo Reino de Granada (onde fica, atualmente, o Equador) e morreu em 26/05/1645. Filha de pais aristocratas de ambos os lados de sua família, seu pai era Dom Girolamo Flores Zenel de Paredes, um homem nobre de Toledo, Espanha e sua mãe era Dona Mariana Cranobles de Xaramilo, descendente de uma das melhores famílias da Espanha.

Ela era a mais nova de oito filhos e alega-se que seu nascimento foi acompanhado por fenômenos incomuns nos céus, fenômeno este claramente conectado com a criança e juridicamente atestado durante o seu processo de beatificação. Mariana ficou órfã cedo e acabou sendo criada por sua irmã mais velha e, posteriormente, juntamente com o marido da irmã. Foi atraída para uma vida espiritual que foi muito próxima com as dos jesuítas, e seu nome, “de Jesus” foi, sem dúvida, intencional tanto que, logo após a sua morte em 1645, seu enterro foi em uma igreja jesuíta.

No sermão de seu enterro, realizado pelo Pe. Alonso de Rojas, S.J., enfatizou que a sua mortificação corporal e renúncia da carne a colocou como um modelo para as mulheres de Quito, tanto que, suas palavras foram: “Aprendam, mulheres de Quito, de sua compatriota, (a preferir) a santidade acima da beleza, virtudes acima de ostentação.” E esse sermão se tornou o documento-chave no longo processo de estabelecer a sua santidade, beatificação (1853) e canonização (1950).

Um fato interessante é que, os franciscanos aclamaram Mariana de Jesus como uma pessoa santa, que ela utilizava o escapulário franciscano, mas a hagiografia jesuíta do século XVII, Jacinto Morán de Butrón, afirma que os Jesuítas nutriram sua vida espiritual.

Do processo de beatificação, Monsenhor Alfonso dela Pegna deu início ao primeiro passo preliminar e instituiu o processo de inquirir e coletar evidencias de santidade em sua vida, suas virtudes e milagres. Os Ritos das Sagradas Congregações discutiram e aprovaram o processo em favor de sua introdução formal e o Papa Bento XIV assinou a causa em 17/12/1757. O processo apostólico concerniu virtudes da Venerável Mariana das Paredes. Após todos os processos legais, na Basílica de São Pedro, no dia 10/11/1853, o resumo foi lido e a beatificação foi realizada.

Vários milagres têm sido relatados por aqueles que invocam a sua intercessão, especialmente na América, onde ela parece feliz em mostrar-se padroeira especial.

S. Ana Maria de Jesus de Paredes foi congregada mariana na igreja da Companhia de Jesus em Quito

 

S. Mariana de Jesus de Paredes, virgem e congregada mariana, rogai por nós

Loading Likes...

Artigos Relacionados