Oração do Congregado

 

Quando aos fogos da aurora o céu se inflama,
por ti meu coração logo suspira,
Ó Virgem! Numa prece ardente exclama:
Abençoa-me, ó Mãe, que sou teu filho!

Da vida no penar, da dor na agrura,
quando os olhos em pranto se me arrasam,
minha alma suplicante a ti murmura:
Vela por mim, ó Mãe, que sou teu filho!

Longe de rumo, se divago incerto
E me salteia a noite, a ti recorro,
encaminha meus passos! Não acerto!
Sê minha guia, ó Mãe, que sou teu filho!

No proceloso mar da vida, escolhos
Mil e mil lá esperam meu barquinho!
Ah! Da tormenta e dos cruéis abrolhos,
tu, vem livrar-me, Ó mãe, que sou teu filho!

O céu de anil, do prado a flor mimosa
espelho são da tua formosura:
tudo me lembra a minha Mãe saudosa
No céu lembra-te, ó Mãe, que sou teu filho!

Não me deixes no exílio ao desamparo!
meu amor, minha vida te consagro;
basta-me teu carinho e teu amparo,
feliz de mim, ó Mãe, que sou teu filho!

Pe. Armando A. Lochu, S.J.

Loading Likes...

Artigos Relacionados