O santo do mês

Dentre as práticas da Congregação Mariana, a devoção e imitação dos santos merece destaque particular. Uma das formas dessa devoção, presente há muito tempo na história das congregações marianas, é a escolha, por cada congregado, de um santo para, naquele mês, ser seu protetor e modelo, auxílio nas batalhas e confidente nos momentos difíceis. Esse santo normalmente é também um santo congregado mariano, um confrade, portanto, que tendo também pugnado à sombra da Imaculada, confiamos, terá para o devoto especial cuidado.

Essa devoção foi alvo de tantos elogios que uma indulgência plenária foi concedida ao congregado que, nas disposições ordinárias, comungar em honra ao santo do mês:

Concede-se indulgência plenária aos congregados pela comunhão em honra do pa­droeiro do mês, sorteado de acordo com o costume tradicional das CC.MM: Em qualquer dia, à escolha, se comungarem em honra do mesmo padroeiro, tendo o cuida­do de rezar diariamente em honra dele três Pater, Ave, Glória.1

 

Para organizar o santo do mês na congregação mariana, segue-se a seguinte orientação, extraída do livro do Pe. Mullan2:

No último dia do mês ou no última dia de reunião, ou até mesmo no dia do Recolhimento Mensal, o Presidente ou algum outro Congregado apresenta-se com uma pequena cesta ou caixa à porta. Dentro do receptáculo há pequenos cartões impressos com os nomes dos Santos do próximo mês, cada cartão contendo também uma virtude a praticar e alguma citação para meditação. Em alguns lugares, cada cartão contém a imagem do Santo. Assim que os Congregados saírem, deverão retirar aleatoriamente um desses cartões de dentro da caixa. Durante o mês seguinte, o Congregado deverá prestar especial honra àquele Santo e praticar a virtude e refletir frequentemente na citação, rezando ao menos três Pater, Ave e Glória, todos os dias.

Histórias interessantes e muito edificantes são relatadas dos frutos desta prática, a qual se diz ter sido originada com São Francisco de Bórgia. Se não for possível obter os cartões impressos, deve-se escrever um número suficiente ou tentar elaborar algum outro plano para se escolher um padroeiro todos os meses. No dia em que os santos padroeiros forem escolhidos, pode se sugerir de recitar ou cantar a Ladainha de todos os Santos ao fim da reunião.

  1. Manual da Congregação Mariana, ed. 1964, pg. 81
  2. Hints and Help for those in charge of the Sodality of Our Lady, Pe. Elder Mullan S.J., 1907
Loading Likes...

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *