B. Juvenal Ancina, bispo

Bispo e Confessor

Nascimento
19/10/1545, em Piemonte, Itália

Morte
30/08/1604, em Saluzzo, Ducado de Sabóia

Beatificação
09/02/1890, pelo Papa Leão XIII

Festa Litúrgica
30 de Agosto

Onde Foi Congregado
Colégio dos Jesuítas em Turim, Itália

Beato João Juvenal Ancina Fossano nasceu em uma pequena cidade do Piemonte, em 19 de Outubro 1545. Seus pais o batizaram com o nome "Juvenal" em honra da padroeira local, para agradecer a vida da criança, que esteve em perigo no nascimento.

Como a família Ancina gozava de boa situação econômica, tanto Juvenal quanto seu irmão mais novo, Juan Mateo, o qual também seria um padre do Oratório, tiveram uma boa educação.

Juvenal estudou em Montpellier, Pádua, Mondovì e Turim, e formou-se em medicina e filosofia, fazendo doutorado em ambas. Com apenas vinte e quatro anos, já era professor de medicina na Universidade de Turim.

Um homem de grande cultura, João era muito devoto e viu em sua profissão uma maneira de expandir a fé tanto em sua atitude para com seus pacientes quanto em seus ensinamentos. Percebendo que o cuidado das almas é mais importante do que o cuidado do corpo, sempre incitava os enfermos a irem a um padre, antes de iniciar seu tratamento.

Ele pertencia a uma irmandade religiosa e estudava teologia por seus próprios meios, embora pareça que ele tenha alguma associação com os agostinianos.

Tal foi a vida que ele levou, quando em uma missa Requiem no mosteiro agostiniano, as palavras de "Dies Irae" encheram-no de terror para o julgamento. Durante o retorno a sua casa, as palavras do Profeta Sofonias o atormentaram: "O dia do Senhor está próximo; O próximo é e chega com grande velocidade. E a voz tão amarga do dia do Senhor vai gritar de angústia para os corajosos."

Embora ele tivesse levado uma vida objetivamente, sem culpa, ele percebeu que poderia usar melhor os talentos magníficos Deus lhe dera.

Foi aplicado à oração e leitura espiritual para determinar o que era o que Deus queria dele. Nesse mesmo dia, resolveu abandonar qualquer pequena vaidade a que havia cedido e dedicar-se a seguir apenas os desígnios de Deus.

Esteve em Roma por mais de um ano quando visitou a recém-criada Congregação do Oratório, onde começou a frequentar os exercícios diários. Ele escreveu sobre isso em uma das muitas cartas que enviou a seu irmão, Juan Mateo.

Foi aceito na Congregação do Oratório em 1 de outubro de 1578 e quatro anos depois, Juvenal foi ordenado e, em 1586, foi enviado a Nápoles para ajudar na recente fundação do Oratório naquela cidade. Lá, ele se dedicou a diferentes atividades e rapidamente ganhou a reputação de um bom pregador.

No outono de 1596, Juvenal foi chamado a Roma, onde o papa Clemente VIII lhe disse que ele decidira nomeá-lo bispo de Saluzzo, no norte da Itália, onde a invasão de hereges havia se tornado um grande motivo de preocupação. Juvenal não estava totalmente convencido a aceitar a nomeação, e não o fez até agosto de 1602, tomando posse de sua diocese somente em 6 de março de 1603.

O tempo em que ele permaneceu nessa posição foi muito curto, porque morreu em 30 de agosto de 1604, supostamente envenenado. Em sua agonia, ele repetia continuamente: "Doce Jesus e Maria, dê paz à minha alma".

Seu curto episcopado, no entanto, foi frutífero e caracterizou-se por várias iniciativas destinadas a ajudar seus fiéis a crescer em piedade e caridade. Um mês depois de assumir a diocese, começou o trabalho de reformar as vidas tanto do clero quanto dos leigos. Procurando combater a heresia, convocou um Sínodo para implementar os decretos do Concílio de Trento, anunciou a fundação de um Seminário e organizou devoções para aumentar a adoração do Santíssimo Sacramento. Também colocou grande ênfase em instigar a fé nos ensinamentos da Igreja e introduziu o uso do catecismo. Logo, o povo o considerava muito estimado até mesmo pelo vizinho imediato, o bispo de Genebra, Francisco de Sales, que apreciava seu caráter humilde e pacífico.

O Beato Juvenal é o único dos membros do Oratório que conheceu pessoalmente São Felipe e chegou aos altares. O corpo do Bem-aventurado Juvenal repousa na Catedral de Saluzzo, sob um altar dedicado a ele.

Loading Likes...

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *